Bandeira Protestante
Oração do Pai Nosso explicada frase a frase - Valvim Dutra
Última atualização em 30/01/2018
Quando os discípulos de Jesus perceberam que ele era, de fato, o Cristo enviado por Deus, pediram-lhe que lhes ensinasse a orar de forma correta e eficiente. Então, Jesus Cristo lhes ensinou a famosa oração do Pai-Nosso.*

A oração do Pai-Nosso não é uma reza miraculosa para ser repetida dezenas de vezes. Na verdade, ela é um exemplo de petição divina. É como um formulário padrão, que deve ser preenchido com as nossas próprias palavras para nos relacionarmos com Deus de forma realmente correta.

Analise a explicação abaixo para entender como obter sucesso, em suas preces. Observe o significado de cada frase, separadamente:
1o - "PAI NOSSO, que estais no céu, santificado seja o vosso nome;..." - Esta parte inicial deixa claro que toda oração deve ser dirigida exclusivamente ao Deus Criador, (ao Pai), que está no céu. Na Bíblia, a palavra "santificado" significa separado, diferenciado, exclusivo e de forma inconfundível. Logo, toda oração deve ser encaminhada diretamente ao Deus Criador. Isso quer dizer que não é correto orarmos a santos ou personalidades, já falecidas, tentando suborná-los com "jeitinho brasileiro". No relacionamento com Deus, só Jesus Cristo, e as pessoas santas que ainda estão vivas, têm poder e autoridade para influenciar os Céus, a nosso favor.

2o - "... venha a nós o vosso reino;..." - Aqui, Jesus Cristo usou a palavra reino porque, naquela época, a maioria dos povos só conhecia organizações do tipo "reinado" (um rei e seus súditos). Nos dias de hoje, as "sociedades" são mais comuns (governantes e cidadãos). Portanto, a expressão reino de Deus quer dizer sociedade de Deus, critérios sociais estabelecidos e administrados por Deus. Logo, nesta parte da oração, Jesus Cristo nos ensina que não devemos inventar leis de nós mesmos. Precisamos aprender e praticar as leis de Deus (Seus mandamentos) para sermos cidadãos do seu reinado e termos direito a todo tipo de petições.

3o - "... seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu". - Nesta parte, Jesus deixa claro que mesmo nos tornando cidadãos do reino de Deus, não podemos fazer projetos a revelia. Temos que nos adaptar aos critérios de Deus e nos conformar com o que Ele nos permitir. Só assim seremos, de fato, bem-aventurados, ou seja, bem-sucedidos em tudo o que fizermos, desde que não atrapalhemos os planos de Deus para cada época e para cada pessoa.

4o - "O pão nosso de cada dia nos dai hoje;" - Aqui, pão significa suprimento, alimento, vestimentas, etc. Nesta parte, Jesus ensina que não devemos pedir além do necessário, com o intuito de estocar ou qualquer outro objetivo. Deus só concede aquilo que necessitamos, de imediato, para suprir necessidades ou desejos atuais. O amanhã, é um outro dia e não devemos pedir adiantado. (Provavelmente, para não descuidarmos com o que já temos nem nos tornarmos desperdiçadores).

5o - "... perdoai-nos as nossas ofensas [dívidas], assim como nós perdoamos aos que nos ofenderam [aos nossos devedores];" - Nesta parte, fica evidente que, se estamos em débito com Deus, precisamos pagá-Lo, ou pedir o perdão destas dívidas (destas ofensas) para que, estando sem débitos, Deus nos conceda aquilo que desejamos. Note que existe uma precondição para que Deus nos perdoe e, consequentemente, nos atenda. A pré-condição é sermos capazes de perdoar os que estão em débito conosco também (aos que tenham nos ofendido), de modo a merecermos o perdão de Deus e recebermos, Dele, aquilo que desejamos.

6o - "... e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal". - Aqui, Jesus Cristo deixa claro que o mal e as tentações existem de verdade. A maneira correta, de nos proteger, é seguir os mandamentos de Deus e fazer nossa higiene espiritual DIARIAMENTE (assim como fazemos nossa higiene corporal). Devemos, frequentemente, usar nossas próprias palavras para pedir a Ele que nos proteja do "predador" da humanidade, (mais conhecido como diabo ou satanás). Isso se faz necessário por causa do nosso livre arbítrio. Deus não se intromete na nossa vida, se nós não lhe pedirmos de forma verdadeira e convincente.

Neste modelo de oração, Jesus ensina todos os aspectos que devemos considerar para nos relacionar corretamente com Deus. As pessoas que encaminham suas rezas e orações, a santos já falecidos, ou ídolos diversos, normalmente não obtêm os resultados desejados. Observe as cidades mais pobres, do Brasil e do mundo, e note que apesar de muito rezarem, seus cidadãos não tem alcançado os objetivos desejados. Infelizmente, a dor e a miséria continuam predominando nestes lugares. Portanto, temos que ajudar a estas pessoas, que já têm fé, a direcioná-la exclusivamente ao Deus criador, conforme ensinado na oração do Pai Nosso. Dividir a fé em dezenas de pedaços, e encaminhá-las a diferentes santos, ou divindades, (isto é, cercar por todos os lados, como nos jogos de azar), é um equívoco cultural enorme que torna a fé improdutiva e inútil.

________________________________
* Pai-Nosso -
Oração original extraída da Bíblia Sagrada em Mateus, cap. 6, vers. 9 a 13.


Valvim Dutra - Autor do Livro Renasce Brasil


Copyright - A republicação dos artigos deste site é permitida desde que citada a fonte com um link para a página original.

Nota: Este artigo é a expressão do pensamento e opinião pessoal do autor, resguardada e protegida pelo direito constitucional inviolável da liberdade de expressão no Brasil. O autor é o único responsável pelas ideias e opiniões expressas acima.

Link Patrocinado
« Artigo anterior: Evangélicos, crentes e cristãos protestantes - Qual a diferença?
Menu de Navegação
Mensagens Cristãs Protestante
  »  Outras mensagens:
Você está aqui
  »  Fale conosco
Projeto Renasce Brasil
Importante: Os anúncios tipo links patrocinados são publicidades externas, automatizadas, e eventualmente podem não refletir os objetivos e ideais deste site.
☰ Menu